Conheça os principais erros do comércio varejista para passar longe deles!

Apesar das oscilações cíclicas na economia do nosso país, o setor do comércio varejista apresentou um crescimento no decorrer do ano, segundo um levantamento nacional feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), publicado em junho de 2018, pelo site do Governo do Brasil.

De acordo com a pesquisa, o crescimento acumulado do comércio varejista nos quatro primeiros meses de 2018 foi de 3%, em comparação com dezembro de 2017.

O acumulado nos últimos 12 meses foi de 3,7%, sendo que, em março, foi de 3,8%. Em abril, houve 1% de avanço, em relação ao mês anterior.  Ou seja, o setor teve 13 meses de alta seguidos.

Para aproveitar os avanços do setor, é essencial estar atento, tendo cuidado para não cometer erros que possam mudar o curso dos seus negócios.

Principais erros do comércio varejista

Abaixo, resumimos os principais pontos para considerar, a fim de evitar dores de cabeça e, principalmente, prejuízos no bolso.

Não ficar antenado com o mercado

O mercado é dinâmico. Muitas coisas mudaram ao longo dos anos: o atendimento ao cliente, o comportamento do consumidor, o conhecimento que o cliente possui do produto antes de comprar, etc.

Se você fica apegado a um modelo antigo e rígido ou a uma ideia estática sobre como as coisas funcionam, sua empresa provavelmente não funcionará por muito tempo.

A palavra-chave aqui é resiliência.

Não realizar um bom planejamento

Devido a certos fenômenos de negócios que surgiram desde os anos 1990, há uma ideia generalizada de que, em muitos casos, com uma boa ideia e entusiasmo, podemos começar um negócio.

Grande erro!

Seja uma startup de duas pessoas ou uma grande indústria (e, obviamente, um comércio varejista), é preciso planejamento. Isso inclui plano de negócios, gerenciamento (de pessoas, recursos, etc), comunicação, análise de mercado, marketing, entre outros fatores.

Deixar de encantar e surpreender o cliente

Às vezes, um negócio está indo bem, avançando continuamente e acaba entrando numa zona de conforto. Mas, um belo dia, as coisas mudam completamente — o mercado é dinâmico, lembra? —, nosso cliente perde interesse e o produto fica ultrapassado.

Por isso, inove, surpreenda, estimule sua imaginação e supere as expectativas do cliente. Hoje, não são os comércios maiores que têm mais chance de sucesso, são os mais inovadores!

Generalizar os clientes

Nos antigos modelos de negócios, as empresas ofereciam os produtos massivamente, e os clientes não tinham muita escolha, nem voz.

Hoje, com a internet, o feedback que temos dos consumidores é sem precedentes. Os negócios não são mais uma linha empresa-produto-cliente.

Atualmente, as empresas e os consumidores criam relacionamentos, e as pessoas se identificam com marcas e produtos.

Portanto, segmente, personalize e escute o cliente!

Menosprezar e não ouvir os funcionários

O empreendedor britânico Richard Branson, dono de um império de mais de 400 empresas, aconselha que “se você cuidar dos seus funcionários, seus funcionários cuidarão dos seus clientes”.

É claro que é importante escutar os clientes, mas vale lembrar que os funcionários são tão importantes quanto os clientes.

Eles descobrem necessidades e proporcionam insights que, muitas vezes, aqueles que estão em outra posição na empresa são incapazes de enxergar.

Acreditar que investimento é igual a gasto

Muitos negócios são relutantes em investir, confundindo muitas vezes investimento com gasto, ou achando que os resultados vão chegar rápido, como mágica.

Não seja um deles!

Se ninguém fica sabendo da sua marca, se ninguém testa seus produtos ou serviços, se ninguém se sente atraído pela sua oferta, como você espera se manter no mercado?

Analise seu mercado e veja qual é a melhor forma de chegar aos seus clientes. Considere o investimento em marketing de varejo, investimento em ações no PDV, identidade visual bem estruturada e tudo que possa contribuir para a sua empresa.

Faça pequenos testes em diversas mídias online e offline, pergunte aos seus clientes e interessados como ficaram sabendo da sua marca e, após estudar esses resultados, aumente o investimento — ele é o motor que faz o seu negócio caminhar e expandir!

Gostou das dicas? Fizeram sentido pra você? Curta nossa página no Facebook e Instagram e veja nossos materiais educativos para você alavancar os resultados do seu comércio varejista!

Compartilhe!