A vitrine é o primeiro ponto de contato que o consumidor tem com a loja. Por esse motivo, os lojistas devem utilizar esse espaço de maneira estratégica para despertar a atenção dos clientes.

Um ambiente atraente e bem aproveitado colabora com o impulso para a compra. Mas, como equilibrar esse aspecto com a falta de segurança que assola o varejo? O confinamento de mercadorias é a alternativa mais comum para impedir o furto dos produtos. No entanto, você já parou para pensar em qual é o impacto que essa atitude tem nas suas vendas?

Tire suas dúvidas e veja, neste artigo, de que forma manter os produtos trancados na vitrine influenciam nos resultados do seu estabelecimento.

Afinal, por que trancar a vitrine?

Seja nas grandes cidades ou nas menores, a violência urbana parece não parar de crescer. Isso resulta em práticas como os furtos, que são sinônimos de dor de cabeça e prejuízo para os empreendedores.

É natural tomar medidas para evitar esse tipo de ação. Uma das mais comuns é deixar produtos trancados na vitrine ou atrás de um balcão, nos quais poucas pessoas tenham acesso às peças.

Geralmente, são trancados os itens que apresentam um alto valor agregado, pois são alvos mais frequentes daqueles clientes mal-intencionados. Assim, ao deixar os itens dentro da vitrine, o cliente precisa procurar um colaborador e pedir que ele pegue o produto.

O confinamento de produtos impacta nas vendas?

O principal objetivo da vitrine é aguçar os sentidos do público. O consumidor deve ser seduzido, ter sua visão estimulada, tocar os produtos – isso favorece o fechamento da venda. Entretanto, quando o item fica trancado, há uma barreira que impede que o cliente chegue até ele, o que pode atrapalhar a sua experiência no estabelecimento e inibir a compra do item.

O confinamento das mercadorias pode trazer prejuízo e perdas de oportunidades de vendas aos varejistas. Afinal, essa prática vai contra o movimento do autosserviço que está em alta e deixa os produtos afastados da vista e do toque.

Além disso, em alguns casos, como os de bebidas alcoólicas de maior valor, o cliente precisa esperar pelo colaborador responsável pela abertura da vitrine, o que pode resultar em perda de interesse e de tempo.

Como deixar sua vitrine aberta ao consumidor sem deixar a segurança de lado?

A melhor forma de colocar os produtos de forma segura nas prateleiras para não perder vendas, é investir em equipamentos de segurança.

As câmeras são “olhos eletrônicos” que ajudam no monitoramento do negócio e na inibição de furtos.

Outra estratégia bastante eficaz é utilizar TAG e antena de segurança nos produtos. Em caso de mercadorias que não tenham passado pelo caixa, um alarme sonoro e luminoso é disparado quando essa etiqueta entra em contato com a antena, alertando os colaboradores.

Deixar os produtos de alto valor expostos mais próximos aos funcionários da loja também desencoraja aquelas pessoas que têm a intenção de furtar mercadorias.

A prevenção de perdas deve fazer parte da rotina de gestores e colaboradores. Deixar os produtos trancados na vitrine traz prejuízos para os resultados do negócio, e não é a melhor solução.

Dessa forma, uma boa estratégia de segurança, com ferramentas inibidoras de furtos, possibilita que os clientes possam interagir com a mercadoria, sem que a sua loja esteja tão suscetível a essas práticas.

Colocando essas dicas em ação, suas chances de fechar vendas sem precisar trancar os produtos na vitrine serão maiores. E, caso queira se aprofundar ainda mais, leia nosso post com dicas infalíveis para evitar furtos no varejo.

Compartilhe!